domingo, 12 de março de 2017

Rimbaud (lambe-lambe)

A amizade refletida em teu olhar
Sendo imperceptível nos sapientes.
Nada exigias para me fazer sorrir
Em uma saudação diária e calorosa.

Um companheiro fanfarrão e ciumento
Tive apenas dois anos para usufruir
De um amor puro, incondicional
E da compreensão de um eterno ouvinte.

Um rapazinho excitado e impossível
Se aventurou na busca de um par.
Percorrendo desenfreado morros e ruas
Desembarcou em uma ilha pra encantar.

E na volta pra casa, a fatalidade.
Sua curta jornada na terra se encerra.
E a minha esperanca repleta de culpa
Buscava por quem já estava liberto.

Meu companheiro agora desbrava
Caminhos que ainda não posso traçar.
A tristeza se desfaz em doces lembranças
De uma vida feliz ao lado teu.

E quem porventura o conheceu
Deve sentir-se ricamente privilegiado
Sua alegria foi para poucos
Um tesouro nesse mundo nefasto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário