terça-feira, 11 de setembro de 2012

Universo Paralelo


É durante a noite que meus sons desaparecem
Ressoam apenas ruídos costumeiros da urbanidade
Meus únicos termômetros de sanidade na volta do 47.
Confesso que ainda possuo essa tal saúde mental
Mas a lucidez, foi-se embora há muito tempo.

O silêncio me refugia das incertezas mortais
Para as iluminações do espírito, já não penso mais
Procuro esquecer os seus olhos minúsculos
Serás mais uma página arrancada, assim como tantas.
Do meu diário roubado por Afrodite.

Essa Deusa maldita e serelepe me quer só pra ela.
Um capricho que aos poucos me consome inteira
Me faz bipolar em seus truques maléficos
Me bate, me corta, me violenta...
E me devolve destroçada para um corpo que não é meu.

Seria muita viagem não fosse somente uma poesia
Testando minhas faculdades imaginativas
Dons pressupostos e talentos produzidos na essência
E no genocídio virtual das almas inquietas
De um universo paralelo.

E meu coração permanece puro...


Mesmo com todas as contradições que a vida oferece
Mazelas de qualquer tempo inóspito e lento
Tempos modernos, tempos antigos de uma estória.
Minhas sensações não se perdem na sua ausência.
E meu coração permanece puro.

De nada adianta todo o meu ateísmo
Dentro de todas as lógicas possíveis e já testadas.
E se a razão me diz que a paixão nos deixa viciados
Não tive overdose e muito menos orgasmo.
Mas, meu coração permanece puro.

Sinto-me só, é verdade...
E creio que você é apenas uma partícula da minha solidão
Nessa imensa totalidade da minha falta de abraços.
Estou descontínua e meu vazio é proporcional.
Porém, meu coração permanece puro.

E é preciso continuar a respirar todos os dias
Avançar, mesmo pensando em retroceder a cada minuto
Não avisto nenhum futuro próspero ou indigno
Somente convivo com um desejo seco de morte.
Contudo, meu coração permanece puro.

Não pense em corresponder a uma pena indissolúvel
Em voltar atrás para buscar o fardo que largaste
Pois, a ferida que causaste cicatrizou rápido demais.
O que resta é um câncer incurável de tristeza
E sempre meu coração permanecerá puro.